25/09/2014

Crítica de Livros - A Maldição do Tigre

Oi gente :3 E... Não, eu não morri. Apesar de parecer ¬¬
Então, né, hoje é um dia especial, pois farei minha primeira critica literária, Ehhhhh! =D É o seguinte povo amado do meu coraçãozinho, no meu niver(um dia antes na verdade) Nanda e Dora me deram de presente um livro que eu já tava querendo fazia um bom tempo: A Maldição do Tigre. E a Mel me deu a continuação três dias depois, mas deixando isso de lado, eu agora vou deixar minha crítica quanto ao livro. Alguns talvez torçam o nariz a principio, mas eu juro que é um livro legal e vale a pena ler :) Eu AMEI o livro, mas não sei dizer se isso é bom ou ruim e vocês vão entender o porque mais tarde ^^' Pois bem, vamos a minha crítica.
Título Original: Tirger's Curse.
Editora: Arqueiro.
Autor: Colleen Houck.
Páginas: 352.
Sobre o Livro: Não se enganem meus queridos, como meu primo e eu quase nos enganamos. É um Romance. E quando eu falo romance é ROMANCE! Claro, tem aventura, ação, magia(bastante magia), mitologia(bastante também), mas quase que é predominantemente um romance. O livro não é polêmico nem de longe e no que diz respeito ao romance, eu diria que é normal, como qualquer outro livro de romance adolescente que eu já tenha lido, mas o que o torna diferente é que a história é ambientada na Índia (em sua maioria) e EUA, com cultura e costumes de ambos, mesclando (de vez em quando) século XXI com XVIII através dos atos das personagens. Por mais que você pesquise, você não encontra erros no que diz respeito a representação de comportamentos, ambientes e pessoas, talvez isso se explique pelo fato de a autora ter trabalhado 17 anos com esse tipo de coisa, e como eu disse, é impossível você achar um erro. Justamente por ser classificado como um "romance adolescente" e por fazer parte da lista do The New York Times, ele é um livro muito procurado e amado.
Resumo do resumo do resumo: Ok, isso vai ser um pouquinho longo. O livro nos conta a história de 3/4 personagens (um deles só se faz mais presente no segundo livro): Os príncipes indianos amaldiçoados com mais de trezentos anos, Dhiren (o tigre branco) e Kishan (o tigre negro). A jovem americana pessimista e  romântica de 17 anos que ainda não tem ideia do que vai fazer da vida, Kelsey Hayes. E o simpático criado/amigo/conselheiro/ex-general dos príncipes, também com mais de trezentos anos e com a única diferença de que envelheceu, ou seja, ele é um velhinho, Sr. Anik Kadam (gente eu amo esse cara, ele é muito mordivel *-*). A história é basicamente a seguinte, Kishan e Dhiren são príncipes indianos que foram amaldiçoados por volta de 1700 por um "amigo", nem tanto assim, de seu reino e se transformam em tigres, com a chance de voltar a forma humana por apenas 24 minutos do seu dia, sendo então obrigados a se esconderem. Dando um pequeno salto no tempo, paramos no EUA, em pleno século XXI e conhecemos Kelsey, ela está a procura de um emprego de verão que possa pagar sua faculdade e acaba encontrando o trabalho de uma semana em um circo. O circo possui um lindo tigre branco (Dhiren) que logo atraio a atenção e afeição da jovem, ela realmente passa a gostar do animal e o apelida de Ren, passando suas noites e dias ao lado da jaula deste. Um dia, chega um senhor de terno e oferece uma oferta irrecusável para Kelsey e para o dono do circo, ele queria comprar o tigre e levá-lo para Índia com a ajuda de Kelsey. Na Índia, ela acaba descobrindo (lá vem um dos meus ditados) que não sabe da missa metade, principalmente quando Dhiren lhe revela sua verdadeira forma. Agora, determinada a devolver a humanidade dos príncipes, ela embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem. Agora se virem pra ler, porque eu não vou passar spoiler (mais do que já passei) u.u
Minha Crítica: Eu gostei bastante da narrativa, que é em primeira pessoa, sendo a Kelsey a nossa interlocutora, mas houve momentos em que pensei estar lendo o que se passa na cabeça da Nanda, porque a linha de raciocínio da personagem se parece muito com a dela, principalmente o pessimismo, teve hora que eu voltei a página para ter certeza que o nome da personagem não era Nanda. Eu sou uma romântica (gay, segundo Nanda e Dora) incurável, então eu gostei bastante do romance, que nos leva para épocas em que homens eram mais educados e pediam permissão para te beijar huehehe Eu também gostei muito da Kelsey. De inicio eu fiquei com medo de ler um Crepúsculo indiano, mas não, a personagem feminina é muito mais pé firme e decidida em suas escolhas, ela não é nenhuma Chuck Norris, mas quando ela tem que fazer alguma coisa, ela faz e sem pensar duas vezes, se a necessidade aparece, ela atende. Os personagens masculinos também não deixaram nada a desejar, diria que (para príncipes endeusados) eles são muito humanos e eu gostei disso. Dhiren é louco por Kelsey, isso é inegável ao longo da trama, mas ele é um tanto esquentado. Kishan é um grosseirão que quer voltar ao mundo, aparentemente ele vê Kelsey como uma amiga, e a principio ele a detesta! Então eu acho que vai ficar muito difícil o surgimento de um triângulo amoroso e, se tiver, do jeito que as coisas estão andando, o Kishan vai parar num lugar muito simpático chamado Friendzone, ou no pior dos casos, os dois vão ficar nela kkkk O vilão também é muito bom, apesar dele ter aparecido bem pouco, eu me lembrava constantemente de sua figura durante a trama. E, por último, mas não menos importante, o Sr. Kadan me encantou, a sabedoria e inteligência dele me fizeram refletir muito sobre certas coisas e a energia que ele transmite é como a de um pai ou avô, então foi meio que amor a primeira leitura :) A única coisa negativa para mim (e de relevância) é que tinha hora que eu não aguentava mais ler as partes melosas, cavalheirismo é legal, mas em excesso enche o saco.
Minha avaliação fica em: ❤ ❤ ❤ ❤.
Eu gostei muito desse livro. Ele me fez viajar para lugares fantásticos e ver, pela primeira vez, um príncipe nem tão perfeito assim, mais humano. Eu recomendo a leitura, ainda mais se você for um romântico inegável como eu :) Só não vai se apaixonar pro um dos príncipes, ok? kkkk
Espero que tenham gostado ^.^
Bjs.