16/06/2014

Quem é Hatsune Miku?

Oi, Gente!! Como é que você estão? Eu não morri e tô de boa na lagoa kkk
Hoje nós vamos falar de uma Diva do J-Pop, HATSUNE MIKU =D

Então, né, o que diabo eu tô fazendo? Pois é, nem eu mesma sei ao certo, mas eu juro que essa leitura vai valer a pena, se não valer, podem tacar raios, bigornas, pianos e pedras na minha cabeça :)
Então minha gente. Todo mundo tá sabendo o que a Lady Gaga fez né? Chamou Hatsune Miku para fazer a abertura de seus shows na turnê que começou mês passado, mas uma coisa que todo mundo (EU) perguntou foi: Quem, diabos, é Hatsune Miku?! o.O
Depois de fazer uma clássica pesquisa no Pai Google e na Mãe Wikipédia, eu decidi compartilhar minhas descobertas com vocês :)
Ao longo dos anos, a música trouxe todos os tipos de ídolos que nos podemos imaginar. Essas pessoas são e fazem tudo o que seus fãs gostariam de fazer, e com suas ações, foram capazes de influenciar a cultura de várias gerações.
E na Era Digital, um ídolo bem peculiar está crescendo cada vez mais. Ela não tem postura polêmica, não recorre a temas sexuais e nem a roupas extravagantes. Ela é tão normal quanto você que tá lendo esse post e eu que tô escrevendo, ela até seria normal demais se pelo menos fosse REAL!! Carne, osso, sangue, vocês sabem, né?!

Hatsune Miku foi criada, a principio, para vender um software, mas que foi ganhando espaço, e hoje, é um dos maiores nomes da música Pop Japonesa. E não pensem que essa bonequinha digital só faz sucesso no Japão não, heim, Hatsune Miku esta cada vez mais famosa pelo mundo inteiro, por exemplo, tem uma menina no meu curso que é louca por ela, eu mesma gosta dessa garota de cabelo azul esverdeado.
Mas para entender quem, ou melhor, o que é Hatsune Miku, primeiro vamos ter que saber o que é o Vocaloid.

Acho que tudo mundo já deve ter ouvido falar de Vocaloid, ou já ouviu os efeitos de seu trabalho e nem percebeu, mas enfim. Vocaloid, foi um programa lançado pela Yamaha em 2004, que trazia uma ideia bem interessante para os entusiastas da música, ele cria vozes sintetizadas a partir de amostras em seu banco de dados, gravado por pessoas reais. Com uns fuça aqui, uns fuça ali, um bate do teclado e um grito de raiva, lá está, uma voz toda gerada por computador.
OBS. Não foram e são poucos os astros da música que fizeram e fazem uso do Vocaloid.
Outras empresas começaram a desenvolver suas próprias versões de Vocaloid, cada um com uma característica própria, foi então que em 2007, a Crypton Future Media lançou Hatsune Miku, que usava o mesmo tipo de sistema, mas que carregava como avatar, mascote ou como você quiser chamar, uma garota colegial futurista de cabelos azul/verde desenhada em estilo mangá.

Falando em futurista, o nome Hatsune Miku significa A Voz do Futuro :)
A empresa lançou o programa tento como publico alvo os fãs de animes e mangás, e os caras ainda foram espertos de chamarem uma cantora japonesa, Saki Fujita, que cantava muitas aberturas e encerramentos de animes para "dar" voz ao programa.
A estratégia deu certo, muito certo, e Hatsune Miku começou a se tornar muito popular nas redes sociais japonesas, principalmente na versão japonesa do YouTube, o Niconico, era lá que as pessoas postavam seus "trabalhos" com Hatsune Miku, mas o que realmente fez a personagem e o software estourarem, foi um vídeo cheio de animações engraçadinhas e fofas da Hatsune cantando uma tradicional música finlandesa, Ievan Polkka.

Desde então o avatar passou a ser a própria Hatsune Miku. Com a imagem do avatar crescendo de maneira vertiginosa, a Capcon, espertinha do jeito que é, lançou um programa que trazia Hatsune e mais algumas personagens no mesmo estilo para encenarem todos os movimentos que seus "programadores" desejassem.
Com o Vocaloid e esse novo programa da Capcon, não demorou muito até começarem a surgir videoclipes feitos por fãs da cantora digital. Mas ainda sim, ela estava presa no mundo dos animes, games e mangás, mas em 2009 uma empresa se deu conta de que ela era tudo o que precisavam para alavancar uma nova franquia. Foi assim que surgiu o Project Diva, desenvolvido pela SEGA, jogo desenvolvido para PSP e que de início ficou só no Japão mesmo, e o jogo ainda era algo relativamente simples.

Project Diva era um jogo em que você devia apertar os botões conforme eles apareciam na tela para dar ritmo à música, e assim a personagem poderia cantar e dançar, como em um de seus muitos videoclipes. Ai, vocês me falam: Mas assim é muito fácil. Sim, eu concordo. Só que fizeram das musicas fases do jogo e o grau de dificuldade é daqueles que prendem o jogador, te tornando um verdadeiro viciado, porque você quer passar de nível por toda lei nesse universo. Aiai... Eu sei como é isso...
E sendo ainda mais malandros, a SEGA pegou vários sucessos da Diva na Internet e outros eles mandaram compositores fazerem as músicas com Vocaloid. Eles queriam mesmo era entupir o jogo de músicas, até mesmo a Ievan Polkka estava na lista kkkk Tem até mesmo outras personagens jogáveis em Project Diva, todas são simpáticas e possuem vozes legais, mas a estrela era Hatsune. E os caras ainda colocaram aqueles "Itens Especiais" para as pessoas terem ainda mais vontade de passar de fase com um FATALIT kkkk O duro é que não mediram despesas, esses itens vão de decorações para casa das garotas do jogo e músicas novas à acessórios e personagens novos.
Não preciso nem dizer o quanto a Sony ficou feliz por Project Diva ser exclusivo do seu console kkk Eles deviam, e devem, nadar em dinheiro todo dia. Mas eles ficaram tão felizes, mas tão felizes, que ajudaram na promoção e divulgação. Assim, a figura de Hatsune Miku passou a ser mais presente em muito mais lugares.
A carta na manga de Project Diva, e a razão de seu sucesso, é que ele usa uma linguagem muito comum lá no Japão, o que chamam de Idols. É uma versão do J-Pop mais voltada para atitude e performance do que para a música propriamente dita, e é um estilo que faz muito sucesso por lá, principalmente entre as garotas.
A indústria se aproveita desse fato e faz muitos games voltados para esse estilo - ficar gerenciando carreira de cantora, ser a cantora, montar coreografias, musicas, etc. -, só que é algo que só faz sucesso entre as garotas mesmo.

Project Diva tem todos esses atributos, mas ao contrario do esperado, ele faz sucesso com todo mundo! Mas por quê disso? Bem, além de ter todos esses elementos, o gameplay é interessante e os personagens são cativantes, agradando o publico de todos os gêneros, idades e gostos.

A imagem de Hatsune Miku pode ter sido criada por um bando de engravatados, mas sua personalidade e tudo o que ela representa foi feito pelos fãs.
Ela é a namorada que todo nerd japonês queria ter e a garota que todas as outras pessoas gostariam e querem de se tornar.

Muitos outros personagens de jogos ou animes conseguiram ter esse tipo de personalidade, mas Hatsuna Miku foi muito além. Ela saio das telas de computadores e consoles para vida real, e não com uma atriz a interpretando, mas sim, como ela mesma.
Em 2009, ocorreu o primeiro show da cantora virtual, contando com vários músicos para fazer o instrumental Ao Vivo e a voz dela por Vocaloid mesmo. A diva apareceu como um holograma, dançando e interagindo com os fãs como uma cantora pop de verdade.

Em 2013, seus jogos vieram para o nosso amado e idolatrado Ocidente :) Dando o primeiro passo oficial para a carreira internacional da cantora. E gráficos ainda vieram divinos para PS3 e Vita(não tenho nenhum dos dois T.T tive que ir jogar em loja), sendo muito bem recebidos pelos entusiastas da cultura japonesa, mas o game não agradou muito o publico em geral. Chegaram a lançar uma outra versão, chamada Project Mirai, para 3DS, que trazia os personagens na forma Chibi e tinha uma jogabilidade mais simples.

Nos palcos também houveram melhorias. A técinica que usavam nos primeiros shows ainda deixava a imagem de Hatsune Miku meio transparente, mas com o passar do tempo eles foram se aperfeiçoando, e em 2014 seu holograma beirou a perfeição, chamando a atenção de todo mundo.
E é aqui que entra Lady Gaga e seu convite polêmico.
Quem já era fã da cantora virtual acho isto um ultraje, afirmando de Lady Gaga era quem devia abrir os shows da Hatsune, não o contrario. Mas, para quem não a conhecia antes, ver aquela figura, para quem não manja de animes e mangás, é toda deformada e desproporcional, cantando em japonês com uma voz esquisita e pulando num palco, foi a maior aberração musical desde... desde... a Lady Gaga?! o.O

Sem contar que a crítica americana foi com tudo pra cima dela gritando: MATA TODO MUNDO!!!
Eles falaram que ela não era uma artista de verdade e sim um monte de programas e números de computador pulando num palco com ajuda de técnicas de luz. Ela não podia ser uma estrela do pop, pois ela é um holograma, não é real.
Essa doeu até em mim quando li a noticia e a menina do meu curso, que gosta dela e de quem já falei, chegou a chorar quando viu uma coisa dessas. Eu não sou tão fã da Hatsune Miku como ela, que chega ao ponto de chorar, porém, eu compreendo a dor dela como fã.
Mas... será mesmo que ela, Hatsune Miku, não é real mesmo?

Sobre a parte dela ser uma artista virtual, eu cheguei a ficar surpresa com o espanto da povo ocidental, pois isso não é novidade nenhuma por aqui. Alvin e os Esquilos, que só é conhecido no Brasil pelos filmes e desenhos, apareceu nos anos 50 como um conjunto virtual e agrada muita gente desde aquela época. Ou vocês vão me dizer que nunca assistiram Alvin e os Esquilos ao menos uma vez?! Outro caso é de uma banda inglesa chamada Gorilas, que fez um baita sucesso no final da década de 90, seus integrantes apareciam como personagens desenhados e seus videoclipes eram feitos por animação. E adivinha como eles se apresentavam nos palcos?!

Quem levantou a mãozinha e gritou "Hologramas!" merece ganhar uma Pandora Box e uma Sakubatou =D Não era a mesma técnica usada nos shows da Hatsune, mas quebrava o galho.

E sobre a Hatsune Miku ser real ou não, eu devo perguntar: Isso é mesmo relevante?!
Você acha que esses artistas para consumo em massa são reais? Eu diria: Não!
A maioria deles são personagens criados por produtores para atender a demanda do mercado, fazem e dizem tudo o que for preciso para manter a imagem e o público. Nem a voz é confiável hoje em dia, pois esse povo tem usado tantos filtros e gambiarras digitais(Vocaloid) para melhorar seu vocal, que eu não vejo diferença nenhuma entre eles e uma cantora toda gerada por computador.

No começo, eu particularmente, achava o som da Hatsune Miku a mesma futilidade que vejo por ai em vários outros artistas e series musicais, e nem a pau que eu colocava uma música dela no meu celular para ficar curtindo enquanto volto da escola. Só que essa minha opinião mudou e daqui a pouco eu falo porquê.
Mas nos jogos da série Project Diva isso funcionam muito bem. Podendo até ficar agradável depois que você se acostuma com o timbre sinistro.

E agora eu explico porque minha opinião mudou :)
Eu prefiro 1000x ela a qualquer outra dessas que chamam de Divas da Música e que tem aparecido por ai nos últimos tempos. Pois a Hatsune não foi criada por empresários formados e especializados em lavagem cerebral, ela foi criada por seus fãs. Ela é tudo o que eles querem que ela seja e sempre será.
Hatsune Miku nunca vai desapontar seus seguidores. Nunca vai dar vexame por ai. Nunca vai ser flagrada por paparazzi saindo da balada com o nariz cheio de pó. Nem vai trocar de estilo e virar biscate só para vender mais música.
Hatsune Miku nunca vai perder sua voz, nunca vai envelhecer e nunca vai morrer.
Ela é o Ídolo Pop definitivo.
A Voz do Futuro.
Agora se isso é bom ou não, só o tempo nos dirá...

Bem, eu espero que tenha valido a peno e que ninguém queira me matar kkkk
Créditos de Imagem: Deviantart - Hatsune Miku.

Bjs.
P.S. O post não tá tão colorido como de costume, porque meu computador não tá aguentando por alguma razão. Desculpas ai.