29/05/2013

Brincadeira de Criança

Olá espíritos, deuses, semideuses, monstros, magos e quem mais estiver ai com a gente.
Para quem não sabe, eu tenho uma prima pequena, para quem sabe, não é nenhuma novidade. Enfim. Ela está me fazendo reviver os bons e os maus momentos da minha infância. Os bons seria aquelas horas em que eu brincava até cansar, vivia cada minuto como se fosse o último, como se não houvesse amanhã. Os maus seria os momentos forever alone que eu tinha. Voltando.
Nesse jogo de memória eu acabei me recordando do que eu brincava quando era pequena (estou começando a falar como uma velha), eh saudade... bons tempos... bons tempos... eu, e a maior parte da população, corria, pulava, subia em arvores, aprontava o sete, uma vida boa (ainda mais que não tinha escola para encher o saco). E nesse mesmo jogo eu comecei a perceber que algumas dessas brincadeiras eu participava com a minha prima. Então, para relembrar os bons momentos da infância, eu decidi criar este post, espero que gostem e que tenham uma boa viagem através da memoria.



Quem nunca brincou de Amarelinha? Queimada? Caça ao tesouro? Esconde-esconde? Barra manteiga? Jogo de mãos? Cabo de guerra? Batata-quente? Pipa? O mestre mandou? Pega-pega? Morto-vivo? Cabra-cega? Adoletá? Estátua? Passa anel? Jogo da memória? Escravos de jó? Em que mão está? Roda do gato e rato? Sombras chinesas? Bola de gude? Pega varetas? Modelagem? Cama de gato? Casinha? Bambolê? Montar cabana? Pião? Pintura? Stop? Forca? Dança das cadeiras? Anagramas? Telefone sem fio? Jogo da velha? Pedra, papel e tesoura? Peteca? Batalha naval? Xadrez? Damas? Dominó? Par ou ímpar? Duro ou mole? E mais um monte que eu não lembro?


Bons tempos aqueles viu. Eu falaria de todas as brincadeiras acima, mas é muita coisa e minha Preguicytis Agudcytis (uma doença que 99,9% da população mundial tem, vulgo preguiça) está voltada para o post no momento, então só vou falar das brincadeiras que me marcaram e mostra uma fotinho. O post já é gigante com as que vou falar, imagine se eu falasse de todas.


Amarelinha, uma delicia de jogo, era o único que criança forever alone como eu (meus não gostavam que eu saísse na rua e meninas não gostavam de mim, gostavam dos meus brinquedos) podia jogar, passei anos assim e nunca me enjoei, mas o que me marcou mesmo foi que consegui meu primeiro amigo pulando amarelinha, aquilo feito titânico para mim.
Pra quem não lembra como se brinca: Desenhe o diagrama com o giz sobre a calçada ou asfalto. O traçado tradicional é um retângulo grande dividido em dez retângulos menores – as ‘casinhas’ – numerados de 1 a 10. Na parte superior do diagrama, faça uma nuvem e escreva a palavra ‘Céu’. Para jogar, fique atrás da linha do início do traçado, uma bola com o nome Terra, e atire o marcador na casinha que não poderá ser pisada, começando pelo número 1. Atravesse o resto do circuito com pulos alternados nos dois pés e em um pé só. Ao chegar no ‘Céu’, faça o caminho de volta do circuito, pegue o marcador - sem pular na casa onde ele está – e volte para trás do traçado. Depois jogue o marcador na próxima casinha e assim sucessivamente. Se errar, será a vez do próximo jogador. Vence quem completar todo diagrama primeiro.


Caça ao tesouro, a primeira vez que brinquei disso eu estava no Pré II, meu professor de Ed. Física, da época, era muito legal, o nome dele era Tadeu e seu espírito era comparável ao de uma criança. Lembro-me bem de que essa caça ao tesouro era mais uma Caça ao Nada, mas foi divertido do mesmo jeito, ele nos disse que a escola na verdade era uma ilha de piratas e que nós eramos o seus prisioneiros, nós tínhamos que escapar, nessa brincadeira de imaginação e corre-corre, andamos a escola inteira, até chegarmos ao barco que na verdade era o parquinho do gramado, foi muito divertido aquele dia. E mais tarde, ainda no Pré II, quando eu passei a noite na escola, o Pré-Noite.
Pra quem não lembra como se brinca: Dentro de uma área pré-definida espalhe as pistas anotadas em um papel, sendo que cada pista traga uma informação que leve a outra pista, sendo que a última levará ao tesouro. Os jogadores recebem uma pista inicial para começar a caçada. A graça do jogo está justamente nas pistas que podem trazer charadas, enigmas, anagramas, cruzadinhas, caça-palavras, frases incompletas. Lembrando que a solução sempre levará à outra pista. Com um número grande de jogadores divida-os em equipes em uma competição.


Pipa, aprendi a empinar pipa com o meu primo, lembro de dar um baile em cinco pessoas que tentaram cortar minha linha, só que a sexta pessoa com um pipão vermelho cortou minha linha, eu chorei durante muitas horas. Mas em relação as pipas eu acredito que não seja necessário dizer como se brinca.


Sombras chinesas, não existe alma no mundo que já não tenha brincado disso, outra brincadeira da minha época forever alone. Pra quem não sabe o que é, eu digo. Sabe quando acaba a energia na sua casa e você não tem nada para fazer? E ai você tem aquela brilhante ideia de fazer sombras de animais ou qualquer outra coisa na parede? Pois é meu bem, isso é Sombra chinesa, prazer.


Bola de gude, outra coisa que meu primo me ensinou, eu sempre gostei muito de bola de gude tenho até coleção delas. Tenho de todas as cores e tamanhos, o dura é impedir que meu irmão as tente engolir.
Pra quem não lembra como se brinca: As bolinhas de gude permitem vários jogos. Na maioria deles o objetivo é acertar as bolinhas adversárias para capturá-las. Os meninos normalmente levam o ‘capturar’ ao pé da letra e ficam para sempre com as bolinhas que acertam, por isso, é bom deixar essa regra bem clara antes da brincadeira para evitar lágrimas. Em uma das versões tradicionais (essa é a que eu mais gosto), os participantes desenham um triângulo no chão. Cada jogador coloca o mesmo número de bolinhas em qualquer lugar do círculo, reservando uma para ser a atiradora. Alternadamente cada jogador tentará acertar uma bolinha adversária de modo que ela saia da área marcada. Para isso lançará a sua atiradora, também do lado de fora do triângulo, com a ajuda do polegar. A bola lançada não poderá ficar dentro da área, senão o jogador perde a vez. Dica: solte a sua criatividade (e a das crianças) montando novos percursos e desafios com as bolinhas. 


Casinha, outra coisa que eu não preciso explicar a ninguém como se brinca, mas a primeira vez que eu brinquei de casinha, e que eu me lembro, foi com meu avô, um homem um pouco rabugento, mas com um coração muito bom.


Stop é algo que brinco até hoje, aliais brinquei disso ontem mesmo com a minha irmã, só que o nosso é diferente, no lugar de MSE(minha sogra é...) vai OME[o Mario(meu professor de matemática, física e química) é...], e a gente acrescenta ANIME aos item sem ser os tradicionais NOMES, ANIMAIS, CORES, ALIMENTO e CEP. O mais legal desse jogo de Stop que eu joguei com ela foi que eu ganhei por 10 pontinhos devidos ao Fullmetal Alchemist(é um anime).


Dança das cadeiras, também foi uma experiência que tive no Pré II, e eu ganhei, fiquei tão feliz.
Pra quem não lembra: Disponha as cadeiras em círculo, sendo que o número de assentos seja menor do que o de participantes. Coloque uma música para tocar. Enquanto a música toca, todos os jogadores dançam em volta das cadeiras. Quando a música parar, cada um deve tentar ocupar um lugar. A criança que não conseguir lugar sai do jogo levando consigo mais uma cadeira. O vencedor será aquele que conseguir sentar na última cadeira. 


Xadrez, a primeira vez eu joguei com o meu pai, e levei uma baita de uma surra, desde então eu me comprometi a treinar e derrotar o meu pai, até hoje estou tentando. Eu teria o maior prazer do mundo em explicar as regras para vocês, mas a explicação em si já seria uma postagem inteira, então eu acho melhor vocês procurarem sozinhos como se joga.


Dominó, ganhei uma bolada de dinheiro jogando isso, minha carinha de anjo enganou os outros jogadores e eles pegaram leve, ai se arrependeram bravamente quando viram que não tinham mais dinheiro para apostar e que tinham pedido para o uma menina de 10 anos(na época), mas tenho certeza de que eles ficariam muito felizes em saber que o dinheiro deles foi investido em um PS2. Em relação a essa brincadeira eu tenho certeza de que se você perguntar para sua mãe ou avó, uma das duas vai te ensinar a jogar, comigo foi assim.


Espero que tenha agradado.
Créditos de texto: para minha pessoa.

Bjs.